Início » Vacina contra COVID-19 possivelmente estará disponível ainda este ano.
Saúde e bem estar

Vacina contra COVID-19 possivelmente estará disponível ainda este ano.

Vacina para a covid 19
foto: G1

Nesta segunda, dia 20, cientistas anunciam a possível disponibilidade da vacina contra a COVID-19.

Nesta segunda-feira, foi divulgado a possível aplicação da vacina contra a COVID até o fim deste ano, no entanto, a mesma ainda não há confirmação que irá acontecer, segundo a principal desenvolvedora da vacina.

A vacina experimental foi licenciada pela  Astrazeneca e está sendo testada em alguns países como Brasil e estará chegando nos Estados Unidos. A possível vacina revigora as esperanças e alivia o mundo  para que em breve possa respirar com alivio.

O resultado dos primeiros testes foram positivos e há motivo para otimismo.

“Em uma entrevista para a BBC Sarah Gibert afirma que possivelmente a vacina estará disponível no fim deste ano,no entanto,ainda não há certeza”

É necessário que haja testes de estágio avançado,visto que é necessário que os órgãos regulares licenciem com urgência a vacina para uso emergencial.

Segundo o artigo publicado na revista cientifica The lancet,a vacina induziu a célula T de anticorpos,mecanismo importante para a defesa do corpo.

Os cientistas de Oxford anunciam que 1 milhão de doses da vacina sejam produzidas até setembro deste ano.

Mesmo o Brasil estando em uma situação de privilegio para a vacina,a chegada da mesma ainda demorará uns meses para ser distribuída.

O Brasil além de participar dos estudos e testes, fechou acordo com a Astrazeneca, a farmacêutica britânica responsável pela distrição da vacina.
Sarah Gilbert afirma que é necessário que a vacina seja que gere funcionalidade.

covid 19
Foto: Reprodução

Em quem a vacina será aplicada?

De acordo com o Ministério da Saúde,a vacina será disponibilizada primeiramente para a “área de risco”, como: idosos, profissionais da saúde, pessoas com doenças cronicas, professores, motoristas de transporte público e  indígenas.

A definição exata de quem receberá a vacina,ainda receberá a aprovação da Anvisa, no entanto, os critérios são baseado nos ensaios clínicos.

A vacina deverá ser aplicada em breve, Oxford já está testando a vacina em algumas pessoas,de diversas idades, incluindo crianças. Já no Brasil ela ainda é restrita a adultos de 18 a 55 anos, com condições de saúde boa e com alto risco de contagio.
No Reino Unido é avaliados idosos, para que a  vacina tenha resposta de imunização para os mesmos.

A doença será controlada?

Para que a vacina seja considerada eficaz contra a COVID-19, deve ter no minimo seis meses de proteção,é fundamental que ela reduza a transmissão do vírus e  tenha bons resultados na população algo.

A vacina de Oxford gera uma resposta inume, no entanto, apenas após duas doses.

Há outras vacinas?

É necessário que haja mais de uma opção, não para uma mesma pessoa receba os dois tipos de vacina, mas para que o maior numero de pessoas possa estar imune.

O Butantan está adaptando uma fabrica para a fabricação das vacinas, em um total de 100 milhões de doses.

A vacina de Oxford é a que está em estágio mais avançado, no entanto os testes estão sendo avaliados.

Imunizar 70% da população, equivale a 146,6 milhões de pessoas. A tecnologia é uma grande aliada com a Astrazeneca e prevê a reprodução da vacina.Isso significa que em pouquíssimo tempo a população brasileira estará imune ao COVID-19.