Início » Terremoto atinge Recôncavo da Bahia e deixa casas rachadas em Amargosa.
Notícias

Terremoto atinge Recôncavo da Bahia e deixa casas rachadas em Amargosa.

Foto: Carta Capital

Na madrugada desta segunda-feira (31), na Bahia houve um novo tremor com magnitude de 3,5 na escala, ele foi registrado em algumas cidades do Recôncavo Baiano. As principais cidades que mais sentiram os tremores foram Amargosa, Brejões e Elísio Medrado.

A população já havia feito relatos dos tremores na manhã e noite do domingo, dia 30. A prefeitura, de Amargosa, identificou pelo menos sete rachaduras nas casas e na também na igreja da cidade. O fenômeno foi sentindo principalmente nas zonas rurais do município.

O secretário de Infraestrutura, relata que os maiores danos foram no distrito de Corta Mão, zona rural entre as cidades de Amargosa e São Miguel das Matas.

Os primeiros tremores foram sentidos na manhã do último domingo (30). O primeiro terremoto foi sentido pela manhã por volta das 8h e durou cerca de 20 segundo. Depois, houve mais outra trepidação, no entanto, desta vez mais leve, por volta das 8h20.

O terremoto teve sua  magnitude de 4,6. Já na noite deste domingo, tremor foi sentido  em Amargosa. E desta vez com  magnitude de 2,7.

Há dez dias atrás, moradores de Cachoeira, também sentiram os tremores na terra. No entanto, o  de Sismologia da Universidade de São Paulo, relatou que também houve tremores na cidade de São Félix, cidade próxima a Cachoeiras, a  magnitude chegou á  1,6.

O tremor mais forte sentido por volta das 7h24 na manhã do domingo, em Amargosa, muitos tiveram suas casas com rachadura. O tremor é considerado fraco, mas forte o suficiente para derrubar panelas e balançar prateleiras, a prefeitura da cidade notificou pelo menos seis casas com rachaduras e a igreja católica da cidade também houve rachadura.

. “Uma das panelas que estavam na cozinha foi parar na sala. O telhado da casa de meu sobrinho ficou com muitas rachaduras”  contou o operador de máquinas Valmir Borges, de 47 anos, morador de Corta Mão.

 

Fonte: G1