Início » ” Temos todas as condições para tirar Bolsonaro em 2022″ Afirma o ex-presidente Lula
Política

” Temos todas as condições para tirar Bolsonaro em 2022″ Afirma o ex-presidente Lula

Foto: Veja

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou em uma entrevista com o site Brasil 247, que eles têm todas as condições necessárias para não reeleger o atual presidente Jair Bolsonaro (Sem partido)  nas eleições de 2022.

Na declaração, Lula não fala especificamente sobre qualquer candidato do PT, no entanto, fala da classe política em geral do partido. Segundo o ex-presidente no país há pessoas bem melhores do que Jair Bolsonaro, o atual chefe executivo.

“Estou convencido de que temos todas as condições de tirar Bolsonaro. O Brasil teve um tempo em que a esperança venceu o medo. No caso de Bolsonaro, a ignorância venceu a inteligência. Não é possível que as pessoas não se deem conta de que o Brasil tem muita gente melhor” disse o ex-presidente Lula.

O petista (Lula), depende totalmente do STF (Supremo Tribunal Federal) para que possa julgar o pedido de suspeição do ex-juiz Sergio Moro. O partido tem como objetivo anular todos os processos que condenam o petista, para que haja uma possível candidatura para a presidência em 2022.

Lula afirmou que mesmo não conseguindo retornar para a política em 2022, estará fazendo algo para que não haja a reeleição do atual chefe executivo .

Ele diz que estará firme na disputa, seja em qualquer posição.

“De lateral direita a ponta esquerda, eu estarei jogando para restabelecer a democracia no nosso querido país.”. diz o petista Luiz Inácio Lula da Silva.

O julgamento do ex-ministro da Justiça acontecerá devido um pedido de habes corpus, feito pelo ex-presidente Lula, onde a defesa Lula pode anular as condenações feitas por Moro após as investigações da Lava Jato.

Os defensores do ex-presidente Lula, afirmam que a decisão pode não ter sido imparcial, pois posteriormente Sergio Moro foi nomeado como ministro pelo atual presidente  Bolsonaro. Segundo eles o ex-juiz agia em conjunto de acusações.

 

Fonte: UOL