Início » Revoltante! Bebê teve couro cabeludo arrancado durante o parto e segue em estado grave
Notícias

Revoltante! Bebê teve couro cabeludo arrancado durante o parto e segue em estado grave

Bebe que teve couro cabeludo arrancado durante parto
Foto: G1

O caso que aconteceu em Rondonópolis continua intrigando os internautas, após um bebê ter seu couro cabeludo arrancado durante seu parto. Além desse grande incidente no procedimento a mãe da criança que possui 38 anos de idade teve sua bexiga perfurada, infelizmente duas tragédias no mesmo parto.

Ambas estão internadas na unidade hospitalar que realizou o parto, a mulher segue se recuperando bem e está em acompanhamento pós-parto, já o bebê que deixou a UTI segue em estado bem grave. Maria Lima de Jesus a mãe da criança hoje com 38 anos de idade nunca imaginou passar por algo tão trágico assim em sua vida.

A família acusa os médicos por cometerem erros na hora do procedimento, a direção da Santa Casa se pronunciou e diz estar apurando os fatos. Além também da Polícia Civil estar investigando a fungo o que realmente aconteceu, segundo primeiro relato da administração do Hospital havia pouco espaço entre a bacia da mãe e a cabeça do bebezinho.

Mas com a repercussão do caso nas redes sociais, outras questões foram levantadas e uma investigação mais a fundo do que pode ter acontecido está sendo realizada. Segundo o pai da criança a mulher entrou em trabalho de parto no dia 29 de Julho, e os médicos alegaram que a criança ainda era prematura que estava com somente 32 semanas e o esperado para realizar o procedimento era com no mínimo 34 semanas.

Não sabemos ainda qual foi o real motivo dessa grande catástrofe na vida desse casal, porém esperamos que tanto a mãe quanto a criança possam se recuperar do estado que se encontram. Que a verdade possa ser revelada e os culpados serem punidos por esse terrível acontecimento, mesmo que seja um acidente infelizmente um médico é ensinado e treinado para não cometer erros nestes momentos delicados, pois um erro somente pode custar uma vida.

Fonte: G1