Início » Renda Brasil: Data de lançamento e valor do beneficio deixa brasileiros muito otimistas
Política

Renda Brasil: Data de lançamento e valor do beneficio deixa brasileiros muito otimistas

Foto: Jornal Contábil

Renda Brasil deve atender cerca de 21 milhões de brasileiros e valor será de R$ 300.

O Renda Brasil será um meio termo entre outros dois benefícios, o Bolsa Família e o Auxilio Emergencial. O presidente Jair Messias Bolsonaro esta otimista como o novo beneficio e deseja que a partir de janeiro de 2021, os brasileiros comecem a receber o valor do beneficio.

Paulo Guedes, atual ministro da Economia trabalha junto com sua equipe para que o Renda Brasil comece a atender o povo brasileiro em janeiro de 2021, e segundo informações essa data foi escolhida pelo próprio presidente, que deseja que os brasileiros recebam o beneficio o mais rápido possível.

O Renda Brasil é a maior aposta do governo Bolsonaro para a área da saúde, e visa substituir o Bolsa Família.

A ideia do governo sobre esse novo beneficio é que, não exista um vácuo entre o auxilio emergencial no valor de R$ 600 que atua como ajuda em meio a pandemia do corona vírus, e o novo programa social.

Há também a possibilidade de que o auxilio emergencial seja prorrogado até o fim desse ano, e a expectativa do brasileiro é que o presidente tome essa decisão o mais breve possível.

Segundo dados do governo, o Renda Brasil vai atender entre 20 a 21 milhões de famílias. Além disso, o programa tem como objetivo aumentar o Bolsa Família que hoje é de R$ 190 por mês, para R$ 300 reais por mês.

O governo prevê que o Renda Brasil vai atender 14 milhões de famílias cadastradas no Bolsa Família, e 6 ou 7 milhões de famílias que recebem o auxilio emergencial.

O custo do Renda Brasil será de 60 bilhões por ano, o dobro dos atuais R$ 30 bilhões anuais gastos com o Bolsa Família.

O governo busca espaço no teto de gastos para poder cobrir as despesas do Renda Brasil. Segundo o ministro Paulo Guedes, o tema sobre o teto de gastos dividi o governo, colocando Bolsonaro em posição delicada.

Fonte: IG