Início » Relembre o caso do pedófilo que pagava até 5 mil reais para abusar de menina de 11 anos
Notícias

Relembre o caso do pedófilo que pagava até 5 mil reais para abusar de menina de 11 anos

Foto: Metrópoles

O caso que aconteceu no ano de 2019 e revoltou a todos na época volta a ser lembrado com a onde de abusos que tem acontecido nos últimos dias, depois de muitos relatos de abusos e crianças grávidas vamos relembrar esse caso que chocou e revoltou todas as pessoas nas redes sociais. O homem que tinha 50 anos de idade ainda exigia que as meninas não tivessem mais que 39 quilos.

Além do biotipo ele também não aceitava meninas com mais de 12 anos esse pedófilo ficou muito conhecido na época e seu caso revoltou todas as pessoas. Em junho de 2019 o homem que era empresário foi preso em flagrante saindo de um motel com duas meninas na cidade de Ceilândia no Distrito Federal.

Umas das meninas tinha 15 anos de idade e era acusada de aliciar as outras meninas e levá-las para o homem, segundo os policias que fizeram as investigações quanto mais nova era a menina mais cara custava o programa. O pedófilo oferecia de mil e quinhentos reais até cinco mil reais para manter relações com essas crianças e adolescentes.

Infelizmente não dá pra acreditar que um homem poderia ser capaz de realizar algo desse tipo, com tantas mulheres disponíveis para pagar um programa e gastar muito menos que esse valor ele preferia satisfazer seus desejos de uma maneira cruel e monstruosa acabando com a infância dessas garotinhas. Lamentável que isso possa ter acontecido no nosso país, infelizmente com a crise financeira que o Brasil enfrenta muitas meninas começam a se prostituir muito cedo.

Na tentativa de conseguir um dinheiro suficiente de mudar de vida e ajudar sua família muitas meninas entram nessa vida, mas infelizmente em pouco tempo elas começam a beber e fazer uso de entorpecentes. Com isso elas acabam se tornando dependentes e o dinheiro que ganham nos programas acaba ficando por ali mesmo em troca de entorpecentes e bebidas.

Fonte: Metrópoles