Início » Polícia conclui que a deputada Flordelis ordenou morte do marido; várias pessoas da família já foram presas
Notícias

Polícia conclui que a deputada Flordelis ordenou morte do marido; várias pessoas da família já foram presas

deputada Flordelis
Foto: UOL

A Deputada Federal do Rio de Janeiro Flordelis está sendo investigada pela morte de seu marido, o Pastor Anderson do Carmo que aconteceu em Junho do ano passado. Uma operação realizada pelo Ministério Público junto à Polícia Civil acabou prendendo cinco filhos do casal e uma neta.

Segundo a conclusão do crime a Polícia e o MP concluíram que a Deputada foi a mandante do crime contra o próprio marido e ato todo foram 11 pessoas envolvidas no crime. A única pessoa que não foi detida foi a própria Flordelis por ter foro privilegiado.

Nessa operação foram feitas buscas na casa da Deputada onde foram presos os seus filhos que estavam todos lá e também em Brasília onde se encontrava sua neta que também está sendo indiciada de ter participação nesse terrível crime. Outros dois filhos de Flordelis já estão presos à mais de de um ano por serem acusados de participarem desse terrível crime.

Flordelis que está sendo indiciada e investigada por tentativa de homicídio, homicídio triplamente qualificado, uso de documento falso, falsidade ideológica e organização criminosa majorada. Por ter foro privilegiado ela ainda não foi presa, mas as investigações estão chegando à um desfecho e provavelmente em breve chegará em uma conclusão final.

O caso que tem dado o que falar em todo o país, tem mais um episódio polêmico com as prisões deste fim de semana. Todos aguardam pelo fim do caso e que se realmente ela for culpada por esse terrível crime que possa pagar pelo que cometeu.

Deixe nos comentários abaixo sua opinião sobre essas prisões e sobre o fato dela ainda estar em liberdade apesar de tantas provas indicando sua participação nesse crime. Compartilhe com todos os seus amigos e familiares para que eles também possam opinar sobre essa caso que tem dado o que falar nas redes sociais.

Fonte: UOL