Início » PM guincha veículo com irregularidades de vereadora e sofre punição de superior
Notícias

PM guincha veículo com irregularidades de vereadora e sofre punição de superior

Foto: G1

Após PM fazer a apreensão de um veículo irregular acabou recebendo uma dura punição, o carro era de uma vereadora da cidade de Marília no interior de São Paulo. Infelizmente nosso país é cheio de fatos como este, principalmente em cidades nos interiores dos estados sempre existem o grupo de pessoas que são os intocáveis.

Onde eles acabam agindo da maneira que querem e esperam nunca serem punidos ou repreendidos, com grandes esquemas acabam controlando a polícia e manipulando as leis à seus favores. Este caso aconteceu no dia 16 de Agosto em um domingo e na sexta-feira dia 21 de Agosto ganhou uma grande repercussão.

Conforme apurado pela TV Tem a vereador estava sendo autuada pelo policial e ligou para a tenente-coronel pedindo que o carro não fosse guinchado pois ela estava com a sua filha. No momento que isso ocorreu a tenente teria ligado para o policial e o reprendido falando que ele deveria ter usado de bom senso e falando que ele seria transferido.

O policial disse que havia abordado o veículo e ao consultar a documentação viu que estava com o licenciamento em atraso, ele deu a oportunidade para que ela efetivasse o pagamento no mesmo momento através do aplicativo. Porém a mesma alegou não possui condições de realizar o pagamento no momento, o policial justificou que além da documentação em atraso os pneus estavam bem desgastados comprometendo a segurança dela e de sua família.

No áudio que está circulando nas redes sociais e nas mídias a tenente coronel teria falado que o homem não deveria tumultuar e deveria apenas ter orientado a mulher sem realizar a apreensão do veículo. Ela explica que era questão de bom senso já que a mulher era vereadora e com a orientação na segunda ela efetivaria o pagamento.

Infelizmente uma triste notícia para todos os brasileiros, que a justiça possa ser feita e as leis serem cumpridas sem parcialidade. Deixe nos comentários abaixo sua opinião sobre esse caso que tem dado o que falar na internet.

Fonte: G1