Início » Pastor reúne fieis em um culto e avisa “Não existe mais o coronavírus. vencemos”
Notícias

Pastor reúne fieis em um culto e avisa “Não existe mais o coronavírus. vencemos”

Fieis furam a quarentena para assistir o culto
Fieis furam a quarentena para assistir o culto // Foto: mobatualizei.com

A Igreja Mundial do Poder de Deus, sempre está nas plataformas de notícias com alguma polêmica acontecendo e a última foi o grão do milagre que o apóstolo Valdemiro Santiago estaria vendendo uma semente de feijão no valor entre R$ 500,00 e R$ 1.000,00 com a informação que a semente curava a pessoa que estaria com o covid-19.

O Ministério Público chegou a mandar um ofício para a o Google para poder tirar o vídeo da sua plataforma You Tube que tal ato estava sendo denunciado por estelionato e que possivelmente o pastor terá que responder por esse crime futuramente.

Segundo o Ministério Público, o relato de cura do coronavírus por conta da “semente milagrosa”, não foi provado e isso acaba sendo configurado como golpe que o pastor esta se aproveitando da fé dos fieis.

No último domingo mais de 40 indígenas foram para a igreja desrespeitando a quarentena e o espaço de um metro e meio de distancia de uma pessoa para a outra. O decreto determinado seria que nenhum índio poderia sair da sua aldeia por nenhum motivo para manter a segurança da tribo sobre a preservação da vida em meio a essa pandemia mundial.

No culto da Igreja Mundial, o irmão do pastor passava avisando os fieis indígenas que não eram para se preocupar porque o corona vírus no Brasil tinha acabado, que não existia mais nenhum vírus porque foi curado pelo poder de Deus.

O pastor Davi Félix que é o pastor responsável pela igreja daquela região estava conduzindo o culto normalmente sem mascara e os seus fieis estavam também sem mascaras.

A Fundação Nacional do índio, também foi procurada para poder entender o que tinha acontecido e porque furaram a medida de segurança e teve a exposição de tantos indígenas sem mascaras e em nenhum momento não teve nenhuma manifestação da Fundação para poder responder as perguntas da secretaria de saúde.