Início » O TRF4 mandou para SP ação da Lava Jato que comprova perseguição contra Lula.
Política

O TRF4 mandou para SP ação da Lava Jato que comprova perseguição contra Lula.

Foto: Rede Brasil Atual

Segundo o site Brasil 247  a 8ª Turma do TRF4 chegou a reconhecer que a 13ª Vara de Curitiba não terá competência para julgar a ação penal contra os executivos do grupo Petrópolis. De acordo com o entendimento  da corte, a ação do triplex contra o ex-presidente Lula não poderia ter sido julgado na capital de Curitiba.

A maioria, da turma  a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região  reconheceu que  13ª Vara Federal  de Curitiba não tem competência para julgar o caso de 20 executivos do grupo Petrópolis, a ação também inclui o proprietário Walter Faria, que responderá algumas acusações sobre lavagem de dinheiro.

No entanto, o colegiado ressalta que não há conexão entre a Operação Lava Jato e os fatos narrados na ação. Devido a isto o caso foi encaminhado para Justiça Federal de São Paulo onde é competente o suficiente para julgar o caso.

“A utilização de esquema semelhantes com a presença de alguns  personagens comuns não atrai o simultaneus processus, porque a competência se firma em razão dos fatos, não em razão de pessoas ou da sistemática de atuação de grupos criminosos diferentes”. Segundo o desembargador federal João Pedro Gebran.

O MP ( Ministério Publico) acusou o Grupo Petrópolis de lavagem de dinheiro para o Grupo Odebrecht, pagamentos os quais foram disfarçados de doações eleitorais, também houve pagamentos ilegais e dinheiros desviados da Petrobrás.

A decisão tomada pelo TRF-4 apenas reforça os argumentos da defesa do ex-presidente Lula de perseguição política no caso de Lula no tripex no Guarujá e na ação lava jato.

Em um vídeo os advogados Valeska Martins e Cristiano Zanin explicam o porque e o que levou o processo da propriedade triplex no Guarujá, no litoral Paulista. De acordo com eles o imóvel que fica no Guarujá, tem uma verdadeira proprietária a empresa AOS, que tem sede na Bahia, e os que estão acusando de ser “proprietário de fato”, moram em São Bernardo do Campo. Completou os advogados em um vídeo.

 

Fonte:  Brasil 247