Início » Líder religioso é preso pela policia federal na operação “Tris In Idem”
Notícias

Líder religioso é preso pela policia federal na operação “Tris In Idem”

lider religioso preso
Foto: CNN Brasil

Nos últimos dias uma onda de religiosos vem sendo presos e acusados de diversos crimes como: Roubo, assassinatos e até mesmo abusos sexuais.

No dia de hoje Sexta-feira (28/08), um religioso foi preso acusado de corrupção em compras ilegais durante o combate a Covid-19 no Rio de Janeiro durante a atual pandemia.

O religioso preso foi o pastor Everaldo, que atualmente é o presidente nacional do partido PSC. O pastor foi preso após o STF emitir um mandato de prisão contar o religioso. O pastor seria ouvido pela ALERJ (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), na próxima semana onde iria dar explicações sobre as acusações e suspeitas sobre diversas irregularidades que foram cometidas pelo religioso durante a atual pandemia da Covid-19.

A policia federal cumprirá no dia de hoje ao todo 16 mandados de prisão nessa operação de combate a corrupção. 10 desse mandatos são de prisões preventivas e seis de prisões temporárias, a policia federal também cumprirá 82 mandatos de busca e apreensão nessa mega operação que foi batizada de “Tris In Idem”.

Foto: Jornal o Dia

Nessa operação também houve o afastamento do governador Witzel do cargo de governador do Rio de Janeiro. Segundo o ministro do STJ, Benedito Gonçalves que é o responsável pelos mandato de prisão e afastamento do governador do RJ, a atitude foi tomada baseada nos seguintes fatos: “O grupo criminoso agiu e continua agindo, desviando e levando recursos em plena pandemia da Covid-19, sacrificando a saúde e mesmo a vida de pessoas, em total desprezo com o senso minimo de humanidade e dignidade, tornando inafastável a prisão preventiva como único remédio suficiente para fazer cessar a sangria dos cofres públicos, arrefecendo a orquestrada atuação da ORCRM (Organização criminosa).

A defesa do pastor Everaldo disse que o presidente do PSC “Sempre esteve a disposição das autoridades e reitera a sua confiança na justiça”.

Fonte: Uol