Início » Homem parou para comprar cigarro enquanto carregava corpo em carrinho de mão, câmeras mostram tudo.
Notícias

Homem parou para comprar cigarro enquanto carregava corpo em carrinho de mão, câmeras mostram tudo.

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Antes de abandonar o corpo da vitima na rua e sair correndo, imagens de cameras de seguranças mostram o suspeito fumando em um estabelecimentos do local, nas imagens mostram também que ele permanece uns cinco minutos conversando com os clientes do local, enquanto a vitima continua no carro de mão encostado na calçada.

No vídeo divulgado pela PM, o homem é flagrado carregando um carrinho de mão com um corpo dentro e ele anda tranquilamente pelo local publico, ele ainda para em uma distribuidora compra um cigarro conversa com as pessoas do local cerca de 5 minutos, o fato aconteceu em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da Capital.

Segundo informações do delegado Rogério Bicalho, moradores do Parque Veiga Jardim) ligaram dizendo que suspeitavam de um homem pois ele estava carregando mala e lençóis em um carrinho de pedreiro, o caso ocorreu neste dia 22 (sábado).

“Quando PM chegou na rua, o homem já havia escapado e saído da carruagem no meio da rua. Ligamos para o perito e descobrimos que a carruagem no lenço e na mala era o corpo de outra pessoa”, disse o representante.

O Instituto de Medicina Legal de Aparecida de Goiânia identificou a vítima como Alexandre Máxima Vieira, de 24 anos. O representante afirmou que nos próximos dias deverá ser ouvida a voz da família da vítima. A pessoa com o corpo também foi encontrada e a polícia está perseguindo-o.

“Conseguimos encontrar a casa da pessoa que aparecia na imagem. Existem manchas de sangue no local. Conversamos com alguns vizinhos e um deles disse que ouviu ruídos estranhos durante a noite. No entanto, ainda é impossível apurar o motivo do crime. “, disse.

Segundo o representante da lei, o meliante tinha passagem por roubo e receptação. Seu nome não foi divulgado pelas autoridades policiais.

Veja o vídeo da reportagem:

Fonte: G1