Início » Homem acusado de violentar a própria sobrinha de 10 anos continua foragido
Notícias

Homem acusado de violentar a própria sobrinha de 10 anos continua foragido

Foto: Rádio Progresso

O caso que tem repercutido em todo país é o assunto mais comentado nas redes sociais, em meio a tanta discussão se seria correto o aborto ou não uma questão está deixada de lado pelos brasileiros. É hora de cobrar das autoridades que o criminoso possa pagar por esse terrível crime, porém o homem de 33 anos de idade ainda está foragido.

Ele está sendo procurado pela Polícia desde o dia 12 de Agosto, e poderá ser preso a qualquer momento. O nome do suspeito não foi divulgado para proteger a integridade da vítima, embora alguns dados tenha sido divulgados por algumas pessoas nosso portal de notícias preza pelo respeito e integridade da garotinha de apenas 10 anos de idade.

No último domingo dia 16 de Agosto outra polêmica envolvendo o caso acabou acontecendo, depois de liminar judicial para que o procedimento de interrupção da gravidez fosse realizado. Um grupo de manifestantes tumultuaram o Hospital que a criança estava, o grupo de pessoas chegaram a falar coisas pesadas direcionadas a menina e também aos profissionais de saúde.

Uma notícia boa envolvendo todo essa triste caso, é em relação à algumas celebridades que anunciaram que irão ajudar e dar suporte a essa criança, pessoas como Whindersson Nunez e Felipe Neto. Que prometeram pagar tratamentos psicológicos e também a educação da garotinha, até que ela vire uma mulher.

Infelizmente este é um trauma muito difícil de superar e que esse homem deverá pagar por esse terrível crime que cometeu, vamos torcer para que a polícia posa encontrar o mais rápido possível e assim ele pagar por esse ato monstruoso. Casos assim tem sido divulgado através dos portais de notícias com muita frequência e algo precisa ser feito na legislação do país para inibir esse tipo de atos para que parem de acontecer.

Só assim nossas crianças poderão se sentir mais seguras dentro de suas próprias casas.

Fonte: A Gazeta