Início » “Era perceptível que eles mantinham relações íntimas com os filhos” disse pessoa que conviveu com Flordelis e Anderson do Carmo.
Notícias

“Era perceptível que eles mantinham relações íntimas com os filhos” disse pessoa que conviveu com Flordelis e Anderson do Carmo.

Foto: UOL

“Era perceptível que Flordelis e Anderson mantinham relações íntimas entre eles, entre pai e filha, entre mãe e filhos e entre irmãos”  alegou pessoa que conviveu com Flordelis.

Segundo informações de uma pessoa que morou na casa da deputada federal Flordelis, a pastora e seu marido assassinado Anderson do Carmo mantinham relações íntimas com os seus filhos.

No entanto, a pessoa preferiu-se se manter anônimo. Ela disse ao JR2 que tem medo da família da deputada. Nesta última segunda-feira (31), os repórteres conversaram com a pessoa que alegou ter morado na casa da deputada Flordelis, ela reforçou o que todas as testemunhas ouvidas disseram sobre a morte do pastor Anderson do Carmo, Flordelis é realmente a mandante do crime.

Segundo as informações dada ao JR2, a imagem que Flordelis passava como mãe amorosa, uma mulher de Deus e bem intencionada foi destruída.

“O que era meio que perceptível, ela apenas mantinha esse número para que pudesse manter o marketing pessoal dela, de 50 crianças adotadas” disse a pessoa.

“Tanto a Flordelis quanto o seu marido e pastor Anderson do Carmo, eles não tinham nenhum tipo de emprego e muito menos nenhum tipo de renda. E este marketing, das 50 crianças, praticamente era a única fonte estável de renda que eles possuíam.” Completou dizendo ao JR2.

Segundo o depoimento dado, o dinheiro que eles ganhavam para estás crianças não era pouco.

“Quando ela cantava nas igrejas, recebia boas ofertas. O dinheiro que circulava era em grande quantidade, na casa eram nas regalias e carro do ano, bons restaurantes, era pra isso que o dinheiro era destinado.”

No entanto, a regalia não era para toda a família. A pessoa que deu a entrevista relatou que nem todas crianças tinham tantos privilégios, algumas tinham mais que as outras. O tratamento era diferente entre elas.

 

Fonte: G1