Início » Dom Pedro Casaldáliga morre aos 92 anos.
Notícias

Dom Pedro Casaldáliga morre aos 92 anos.

Foto: Olhar Alerta

O Bispo Dom Pedro, nasceu na Espanha em 1928 e mudou-se para o Brasil aos seus 40 anos. Ele ficou muito conhecido devido seu trabalho pastoral que estava ligado a causas como de defesa dos povos indígenas e suas posições políticas.

Neste sábado (8), faleceu o Bispo emérito de São Félix do Araguaia, aos 92 anos. Ele estava internado em Batatais – São Paulo. O Bispo ficou conhecido por suas posições políticas e seu trabalho pastoral ligados a defesa dos indígenas e o combate a violência agrária.

A morte de Dom Pedro foi confirmada pela Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria  e também Ordem de Santo Agostinho.

Nesta última terçar- feira o Bispo teria sido levado para o interior de São Paulo em uma UTI montada dentro de um avião, o motivo foi problemas respiratórios agravados pelo Mal de Parkinson.

Foi realizado um terceiro exame, no entanto, foi descartado que Casaldáliga teria contraído a COVID-19.

Na tarde desta ultima sexta-feira (7), foi divulgado o boletim médico, o paciente estaria com infecção no pulmão, e respirava com ajuda de aparelhos, com o quadro clínico grave.

     História

Dom Pedro nasceu em 16 de fevereiro de 1928, na Espanha. Mudou para o Brasil aos seus 40 anos para trabalhar como missionário em São Félix do Araguaia, pertencia a congregação dos missionários Claretianos, foi nomeado o primeiro bispo da Prelazia do município, foi nomeado em 1971 e renunciou em 2005.

Em seus primeiros anos no Brasil, uniu-se com alguns padres espanhóis, na defesa dos povos indígenas, ameaçados pela violência dos conflitos agrários.

Na década de 1970, foi um dos principais fundadores do conselho Indigenista Missionário.

Dom Pedro Casaldágia foi agraciado com o título de Doutor Honoris  Causa, pela Unicamp ( Universidade Estadual de Campinas), em 2000.

Em 2012, recebeu ameças de morte devido seu trabalho junto aos índios Xavantes, após anos de luta judicial contra os latifundiários e produtores rurais.

 

Fonte: G1