Início » Caso da menina de 10 anos: Professora diz algo terrível sobre o caso e sofre dura punição
Notícias

Caso da menina de 10 anos: Professora diz algo terrível sobre o caso e sofre dura punição

Foto: Migalhas

O caso que tem repercutido em todo o país dividindo várias opiniões acabou mal para uma professora da rede estadual de São Paulo. A mulher que deu sua opinião sobre o caso publicamente acabou falando o que não devia e foi demitida pela Secretaria da Educação do Estado.

Em uma infeliz publicação a professora disse que não foi violência sexual, e que ela tinha uma vida de relacionamento há 4 anos com o homem. Ainda para terminar ainda completou dizendo que ela deve ter sido bem paga, insinuando que a menina fazia sexo com o homem em troca de dinheiro.

Em outra postagem ela continuou dizendo que criança se defende chorando, e questionou o porque que a garotinha nunca chorou durante os abusos. O Secretário da Educação agiu rapidamente demitindo a professora e também declarou que ela havia sido dispensada a bem do serviço público o mais rápido possível para não ficar perto de nossas crianças.

Ele completou comentando que é um absurdo que uma profissional da educação fale coisas tão absurdas como ela disse. Que uma profissional treinada a cuidar das crianças defender que não foi violência algo tão cruel que essa garota passou em sua vida.

Infelizmente esse caso ainda tem repercutido negativamente nas redes sociais e muitas pessoas tem realizado declarações deploráveis sobre essa garotinha. Não sabemos ainda como ela reagirá com toda essa repercussão e exposição que ela está passando, mas vamos torcer para que ela consiga superar tudo isso e conseguir ter uma vida normal um dia.

Deixe nos cometários abaixo sua opinião sobre esse terrível comentário dessa professora e também se preferir pode comentar sobre a rápida resposta do Secretário da Educação de São Paulo, caso não concorde com a atitude dele nos explique. Lembre-se sempre de respeitarem a opinião uns dos outros para que a ordem e o respeito prevaleça sempre.

Fonte: Folha Pernambuco