Início » Cachorros famintos comem mãos e pés de idosa encontrada sem vida dentro de casa
Notícias

Cachorros famintos comem mãos e pés de idosa encontrada sem vida dentro de casa

Foto: Folha Z

Uma idosa foi encontrada morta dentro de em sua própria residência, e tudo leva a crer que os cachorros comeram os pés e as mãos da idos por estarem com fome a bastante dias.

O fato assustador e triste aconteceu no bairro Jardim Leblon, na cidade de Campo Grande, na capital do Mato Grosso do Sul. Uma idosa de 73 anos foi encontrada morta dentro de sua própria residência nessa ultima segunda-feira (24/08)

A policia civil do estado de Mato Grosso do Sula (PCMS), esteve no local e estão com a responsabilidade de entender o que de fato aconteceu com a senhora de 73 anos.

As autoridades que apuram o caso disseram que, alguns de seus membros foram dilacerados, e até o momento os cachorros foram os responsáveis por comerem as mãos e pés da senhora, mas que tudo leva a crer que ela já estava morta quando isso aconteceu.

As suspeitas dos policiais que foram até a residência é que os animais de estimação da idosa comeram as partes dos seus membros, após ficarem muito tempo sem comer devido a morte de sua criadora que já estava em estado de putrificação, e então como não tiveram outra fonte de alimento optaram por comer partes do corpo da criadora que já estava morta.

Momentos após a policia civil descobrir o corpo da idosa, os familiares foram chamados até a delegacia. Na delegacia os familiares afirmaram que a ultima a ter contato com a idosa foi a filha, e isso foi há 15 dias e desde então não viu mais a mãe e nem teve informações dela.

A filha da idosa disse às autoridades que, a idosa tinha uma ordem judicial que impedia que qualquer parente entrasse na casa sem a autorização da idosa.

Segundo informações da filha a mãe era alcoólatra, hipertensa, diabética e portadora de disritmia cerebral.

A policia afirmou que não a sinais de arrombamento e investigam a morte da idosa para que tudo possa se esclarecer o mais rápido possível.

Fonte: G1