Início » Bolsonaro defende no Twitter o uso de remédios “off label”, o que é isso e qual os riscos?
Notícias Política

Bolsonaro defende no Twitter o uso de remédios “off label”, o que é isso e qual os riscos?

Bolsonaro defende uso de remedios of label
Foto: Veja

Nesta última segunda-feira dia 20 de Julho o atual presidente Jair Bolsonaro postou em seu Twitter à favor do uso de medicamentos “off label”, uma prática arriscada e muito perigosa dependendo do medicamento. Já que essa prática significa utilizar medicamentos sem seguir a sua bula.

Porém em sua postagem ele argumentou que essa prática já ajudou em tratamentos importantes e completou dizendo que tem que ser algo de extrema concordância entre paciente e médico. Com isso, sua opinião tem dividido opiniões em toda internet.

Sua declaração foi devido a uma nota da OSM sobre o uso da cloroquina, e tem trazido várias discussões sobre o assunto. É certo que o objetivo central é encontrar formas de combater de forma efetiva o novo coronavírus e assim acabar de ver com essa pandemia que tem deixado as pessoas loucas em suas casas.

E nessa tentativa de encontrar formas de combater a doença tem nascido grandes debates, e dividido a opinião dos brasileiros sobre o assunto. Com isso, é importante sempre se informar bem sobre qualquer assunto relacionado antes de formar uma opinão.

Somente assim evitaremos discussões vãs que não ajudarão em nada no progresso contra essa terrível doença. Por isso, vamos de maneira efetiva e civilizada tentar debater os pontos positivos e negativos dessa prática para que assim possamos chegar em uma conclusão se é prejudicial ou não o uso da cloroquina em “off label”, ou qualquer outro remédio que possa agir de forma a ajudar no combate ao Covid-19.

Muitos estudos estão sendo feitos em todo o mundo e uma vacina efetiva irá demorar a realmente chegar em nossas mãos, só quem já pegou a doença ou teve um próximo contaminado sabe o desespero que é para combater esse terrível vírus. Portanto é muito importante não perder tempo em tolas discussões e sim unirmos força e conhecimento para assim tentar salvar as vidas de quem amamos.

Fonte: Uol