Início » Auxílio emergencial: projeto prevê renda mensal de R$ 800 para famílias com este perfil
Notícias

Auxílio emergencial: projeto prevê renda mensal de R$ 800 para famílias com este perfil

Foto: ranielegomes.com.br/

Nas discussões sobre o projeto Auxílio Emergencial, o governo luta por a prorrogação, os senadores tentam emplacar as propostas para beneficiar todas as categorias e faixa etárias nesta pandemia da COVID-19.

O Auxilio Emergencial é direcionado a trabalhadores e desempregados que foram prejudicados pela pandemia.

A taxação de grandes fortunas estão ganhando uma grande musculatura, como uma fonte de renda para bancar o projeto Auxílio Emergencial. Segundo os congressistas a ideia é que após o governo encaminhar a proposta da prorrogação do Auxílio Emergencial, os itens já protocolados na Casa possam ser incorporados ao governo.

A ideia é que a prorrogação do projeto vá até dezembro. Segundo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) o programa irá até dezembro, no entanto, não garantiu o valor do benefício, criado na pandemia do novo coronavírus, no valor de R$ 600.

No entanto, no senado há pelo menos 10 propostas protocoladas para garantir uma renda miníma a população Brasileira.

Uma das propostas, foi a da senadora  Eliziane Gama, ela prevê R$ 800 de renda para as famílias mais vulneráveis com crianças até seis anos de idade.

Segundo a proposta o valor irá ser pago integralmente nos três primeiros anos de vida da criança, e terá redução de R$ 100 subsequentes, até que a criança complete sete anos de idade. Mas se a família ultrapassar a renda mensal, a renda será mantida apenas por dois anos e terá o valor reduzido à metade no primeiro ano e a 25% no segundo.

“Estimamos que a taxa de pobreza na primeira infância cairá pela metade, de 25% para 13%, a um custo de cerca de R$ 80 bilhões.

Assim, para financiar esta despesa é justo que a tributação sobre os mais ricos seja atualizada” defendeu a senadora sua proposta.

A taxação de grandes fortunas já está em debate no congresso, dentro da reforma tributária, mas não está ligado aos pagamentos dos auxílios emergenciais.

Fonte: O Petroleo