Início » A Corregedoria da Câmara não encontra a deputada Flordelis em duas tentativas de notificações.
Notícias

A Corregedoria da Câmara não encontra a deputada Flordelis em duas tentativas de notificações.

Fonte: UOL

A corregedoria da câmara dos deputados, por duas tentativas de notificação sobre a abertura do processo de investigação que pode até cassar seu mandado, não encontraram a deputada Flordelis em ambas vezes.

A cantora gospel e deputada está sendo acusada de ser a mandante do assassinato do seu marido o pastor Anderson do Carmo. No último dia 24, cinco filhos e uma neta da pastora foram presos, em uma operação coordenada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e a Polícia Civil.

A deputada ainda não foi presa, pois tem imunidade parlamentar. Ela apenas poderia ser presa caso fosse pega em flagrante em um crime inafiançável. No total onze pessoas foram denunciadas.

A primeira tentativa de notificação foi no gabinete da deputada. A segunda ocorreu ontem a noite (04), em seu apartamento funcional em Brasília de acordo com o corregedor da Casa, deputado Paulo Bengston (PTB-BA). A terceira tentativa deverá ser feita no endereço da pastora no Rio de Janeiro fornecido por ela mesma na Câmara. Caso Flordelis não seja encontrada, o processo o qual a envolve será publicado no Diário Oficial da União.

A assessoria da deputada federal informou que ela estará hoje no Rio de Janeiro e que ela retornará a Brasília apenas na próxima terça-feira (08) e irá comparecer na corregedoria da casa para que possa ficar a par do que se trata.

O processo que já chegou a Corregedoria da Casa que foi encaminhado pela Mesa Diretora da  Câmara. Na corregedoria Flordelis terá cinco dias úteis para apresentar uma defesa, que será prorrogada pelo menos período de tempo. O órgão, então, terá 45 dias para que possa dar um parecer.

Se caso for dado uma continuidade no processo a representação apresentada por parlamentares será encaminhada ao Conselho de Ética pela Mesa. Provavelmente o pedido de casação feito pelo deputado Léo Motta seja utilizado.

Fonte: UOL